Ex-delegado do DOPS que sofreu atentado terá proteção policial, diz Paim

16 maio

Da Agência Senado:

O ex-delegado do Departamento de Ordem Política e Social (DOPS) no Espírito Santo, Cláudio Guerra, vai ter proteção policial. O anúncio foi feito em Plenário na noite desta quarta-feira (16) pelo senador Paulo Paim (PT-RS) que, mais cedo havia feito um apelo ao ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, para que garantisse a segurança de Claudio Guerra. O ex-delegado, que revelou no livro Memórias de uma Guerra Suja, dos jornalistas Rogério Medeiros e Marcelo Netto, alguns dos crimes cometidos pela ditadura militar, teria sido alvo de um atentado contra sua vida durante a madrugada.

Paim havia convocado Guerra e os jornalistas autores do livro para audiência na Comissão de Direitos Humanos e Legislação Participativa (CDH) na manhã de quinta-feira (17). O ex-delegado também se dispôs a falar à Comissão da Verdade.

– Considero da maior gravidade a tentativa de assassinato, porque ele é um arquivo vivo dos crimes que ele mesmo cometeu. Li no livro que a responsabilidade dele, na ditadura, era matar, inclusive, enquanto outros torturavam. Agradeço ao ministro pela providência – disse o senador.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: