Pacote turístico israelita oferece treino para ‘matar terroristas’

19 jun

Do Diário Liberdade:

Um campo de treino de tiro ao alvo localizado num colonato israelita tem provocado polémica por oferecer aos visitantes um pacote de “turismo radical” que inclui treino para “matar terroristas”.

O campo, Caliber 3, no colonato de Gush Etzion, no território palestino da Cisjordânia, usa como alvo figuras em tamanho real, trajando os tradicionais turbantes árabes.

O local, com mais de 10 mil metros quadrados, é usado em treino do exército e da polícia de Israel. O proprietário, o empresário Sharon Gat, contou à BBC Brasil que resolveu aproveitar as instalações já existentes para dar início ao “projeto turístico”.

“Queremos que os judeus do mundo inteiro possam ver com os seus próprios olhos que no estado de Israel há organizações e pessoas que sabem ensinar auto-defesa no mais alto nível”, disse o empresário. “Também queremos que os judeus do mundo vejam que aqui existe orgulho judaico, pois os judeus, que foram massacrados há 70 anos (referência ao Holocausto), hoje têm um Estado, um exército e as melhores instalações de treino”, acrescentou.

De acordo com Gat, cerca de 5 mil turistas já passaram pelo curso, entre eles centenas de crianças, que são admitidas nos treinamentos a partir dos cinco anos de idade.

Os adultos atiram com armas e munições reais em alvos de papelão ilustrados com o esteriótipo do “terrorista”. As crianças utilizam armas de paintball.

“PROJETO SIONISTA”

Sharon Gat, de 40 anos, um oficial da reserva do exército israelita, disse que o projeto Caliber 3 foi criado em memória do seu cunhado, Hagai Haim Lev, que morreu em combate na Faixa de Gaza. “É um projeto sionista, positivo e importante, que proporciona muita emoção a muita gente. O curso destina-se a turistas de todas as idades interessados em aprender tácticas antiterroristas”, afirmou o empresário.

O projeto também inclui programas especiais de aniversário, encontros de amigos e paintball, oferecendo aos turistas “experiências emocionantes que não poderão ter noutro lugar, exceto no campo de batalha”.

O edil do colonato de Gush Etzion, David Perl, afirmou que o novo projeto turístico proporciona “um incentivo suplementar” ao turismo na região.

O colonato, situado a sul de Jerusalém, foi construído em terras do distrito palestino de Belém e “recebe cerca de 400 mil turistas por ano”, de acordo com Perl.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: