Em show de Tom Zé, manifestações contra privatização dos espaços públicos de Porto Alegre

4 out

Por Atílio Alencar

“Meta sua grandeza no banco da esquina,
vá tomar no verbo seu filho da letra
meta sua usura na multinacional
vá tomar na virgem seu filho da cruz.”

(Tom Zé)
O Araújo Vianna é um espaço público de forte histórico cultural em Porto Alegre. Recentemente, foi reaberto, após restauração realizada em uma parceria público-privada entre a Prefeitura de Porto Alegre e a Opus Promoções, com patrocínio da Operadora Oi, Coca-Cola e Grupo Zaffari. Depois do acordo, grades passaram a envolver o espaço que deve permanecer por 10 anos sob este formato de concessão, conforme o contrato.Nessa terça-feira, enquanto Tom Zé apresentava suas canções, cartazes foram levantados por manifestantes, demonstrando insatisfação com a situação do Araújo Vianna. Ainda durante o show, Tom Zé tomou um dos cartazes e o ergueu no palco: “Praças Vendidas”, estava escrito no manifesto.

Após o show, as pessoas foram impedidas de permanecer nos arredores do auditório pelos seguranças do evento, embora nenhum transtorno estivesse sendo causado ali. Como resposta a violência gratuita, a lata inflável da Coca-Cola, posta na entrada do Araújo Vianna, foi tombada. Para conter a manifestação, os seguranças usaram máquinas de choque e tiraram a força os manifestantes. Durante o enfrentamento, as mulheres eram chamadas de putas e os homens, de maconheiros.

Em seguida, o grupo de manifestantes levou a lata inflável para a Avenida Oswaldo Aranha e a queimou. Batuques e frases de protesto contra a privatização dos espaços públicos eram proferidos. Mais um episódio que evidencia a insatisfação pública com a forma com que a gestão municipal trata os aparelhos culturais e os espaços urbanos de convívio.

Foto: Mídia Fora do Eixo

Anúncios

18 Respostas to “Em show de Tom Zé, manifestações contra privatização dos espaços públicos de Porto Alegre”

  1. Rafael 4 de outubro de 2012 às 11:10 #

    Insatisfação pública com a gestão municipal? Me explica 0s 51% do Fortunatti nas pesquisas então? VÃO ESTUDAR e ler sobre o que realmente é uma privatização, bando de gente que não tem nada pra fazer. Comigo esse papinho não cola…

    • nandog 4 de outubro de 2012 às 11:37 #

      Rafael sabidão, 49% não contam?

      • Rafael 4 de outubro de 2012 às 12:52 #

        Claro que sim, mas da forma que foi colocado é que grande parte da população estava insatisfeita, e pela foto não tinham 100 pessoas. Democracia é isso, 51% ganha!

    • Maicon (@CretinaMor) 4 de outubro de 2012 às 13:10 #

      DIREITISTA

    • Rafael 4 de outubro de 2012 às 14:54 #

      Respeito o Jornalismo B e a importância de relatar esse tipo de acontecimento, mas publicando notícias feitas por não jornalistas, não dá, não tem como!

      • Paulo de Tarso Riccordi 4 de outubro de 2012 às 18:18 #

        Por que o jornalista não estava lá para reportear?

  2. lelezinha 4 de outubro de 2012 às 11:35 #

    Porto Alegre está se tornando uma cidade mediocre culturalmente devido às ações continuas de desmonte dos espaços culturais,empreendidos continuamente pela atual gestão…se foi o tempo em q/POA era uma cidade referência p/todas as manifestações culturais…Bons tempos aqueles…

    • luiz carlos 12 de outubro de 2012 às 16:27 #

      quem esta protestando porque nao fez antes quando estava tudo destruido so agora se manifestam …

  3. nina 4 de outubro de 2012 às 11:48 #

    desnecessária a manifestação desta forma. não é queimando as coisas que vão conseguir algo, as pessoas precisam para pra pensar. não é desse jeito que vão mudar algo!

    • nina 4 de outubro de 2012 às 11:51 #

      estou criticando a forma como foi manifestado e não a causa. precisamos ser mais racionais na forma de agir.

      • Ane Brasil 4 de outubro de 2012 às 12:44 #

        compreendo a tua crítica, nina, mas gostaria que você deixasse uma sugestão de protesto.
        Às vezes eu também penso que novas formas de protesto são possíveis, mas, tem dias, que a única resposta possível é radicalizar.

      • Camiss Lee 4 de outubro de 2012 às 13:13 #

        Não é a violência que vai gerar mudança. este comportamento está errado. Não foi isso que Tom Zé nos ensinou. a mudança é pela arte e não pela violência, povo burro!

      • Guilherme 4 de outubro de 2012 às 13:51 #

        realmente né,fazendo nada e compartilhando coisinha no facebook que tudo vai mudar,ta certo tem que lutar pelo que acredita

      • Drawu 4 de outubro de 2012 às 14:48 #

        Nina, legal falar em forma racional, mas me parece muito abrangente dizer “precisamos ser mais racionais na forma de agir”. Se tu tens uma forma racionalmente eficiente de protesto compartilhe conosco, de maneira objetiva. Se eu estivesse lá no ato falaria sobre o acontecido, como não estava me abstenho.
        Abraço a todos!

  4. Eder 4 de outubro de 2012 às 12:37 #

    Levantaram cartazes DURANTE o show? Deveriam ter sido retirados neste momento. Não há “protesto” q justifique interferir na apresentação de um artrista e/ou atrapalhar o público q está lá para vê-lo.
    E “arredores do auditorio” significa o quê? Dentro das grades? Se for dentro das grades ninguém tinha nada que ficar ali mesmo. Agora é fechado, os seguranças tem que retirar as pessoas para poder trancar. É o que há, não adianta se fazer de vítima para poder gerar confusão. Acho feio ser fechado agora, e não deixar as pessoas usufruirem da “colina” do auditório, mas não estou ali me fazendo de desentendido para poder me fazer de vitima e queimar infláveis de refrigerante…

    • Paulo de Tarso Riccordi 4 de outubro de 2012 às 18:17 #

      Putz, que fascista!! Dentro ou fora das grades, aquilo é espaço PÚBLICO. Todo e qualquer cidadão tem pleno e irrestrito direito de ir e vir em espaços públicos.

  5. CArllos 4 de outubro de 2012 às 14:31 #

    Em duas músicas do Tom Zé ele falou em Coca Cola

  6. João Coimbra 4 de outubro de 2012 às 18:20 #

    Estudando a história se vê que AS CONQUISTAS SE MANTÉM SOMENTE COM PRESSÃO SOCIAL. O Araújo Viana, conquista da sociedade porto-alegrense, foi inaugurado menos de 1 mês antes do golpe militar, cujos resultados catastróficos mantém nosso país atrasado até hoje. Numa das poucas datas geridas pelo âmbito público, os seguranças deveriam tratar o público muito bem, pois o espaço é seu de direito! Vamos deixar de ser ingênuos! Eu estava lá e vi que foi uma ação coletiva, não planejada, causada pelo jeito privado Opus / Coca Cola de lidar com as pessoas num espaço que é PÚBLICO, pois concessão não deveria ser entrega, o espaço ainda é PÚBLICO, as pessoas merecem ser tratadas com respeito, há sete anos e meio não podiam sequer enxergar o auditório cercado por enormes tapadeiras, e agora por estarem curtindo na grama, são mal-tratados e tem gente que acha isso certo, por favor… (TODOS merecem ser respeitados, independente de ser estudante, trabalhador, rico, pobre, desempregado, mulher ou homem. PÚBLICO, no Aurélio: “a população em geral; relativo ou pertencente ao povo, à população”)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: