Grupo de Direitos Humanos realiza ato contra internação compulsória em Porto Alegre

4 maio

Texto e fotos: Bruna Andrade, Jornalismo B

DSCF1337

Neste sábado (4), ativistas da Frente Estadual Drogas e Direitos Humanos do Rio Grande do Sul estiveram no Parque da Redenção, em Porto Alegre, dialogando com a população sobre o Projeto de Lei do vereador Thiago Duarte (PDT) que cria o Sistema Estadual de Internação Compulsória para usuários de drogas na capital gaúcha e que, segundo eles, banaliza esse tipo de tratamento. Para Cicero Meincke Melo, trabalhador e pesquisador em saúde coletiva, “esse deve ser apenas um dos recursos terapêuticos possíveis e é preciso levar em consideração a situação de cada usuário”.

A organização ainda argumenta que o projeto “desvia o foco dos verdadeiros problemas: a necessidade de ampliar os serviços públicos de saúde e o acesso a outras políticas públicas, como Educação, Assistência Social, Cultura”. Outro ponto levantado pelo grupo é o da criminalização da pobreza. Para eles, esse tipo de projeto se destina principalmente a usuários de drogas que moram na ruas e faz parte de políticas de higienização da cidade.

A Frente Estadual Drogas e Direitos Humanos/RS começou a se organizar em uma reunião na Câmara de Vereadores no dia 22 de abril deste ano e que teve a presença diversos movimentos que discutem Saúde e Direitos Humanos. Além da questão municipal, a organização também pretende trazer para a discussão o projeto do deputado federal Osmar Terra (PMDB) sobre a nova Lei Antidrogas. Rafael Gil, um dos organizadores do evento, defende a necessidade de trazer para a sociedade a discussão sobre drogas: “esse tema ainda causa muito espanto nas pessoas, e não se pode pensar em políticas públicas a partir desse sentimento de espanto”, explica.

DSCF1336

DSCF1338

DSCF1343

DSCF1345

DSCF1346

DSCF1350

DSCF1354

Anúncios

3 Respostas to “Grupo de Direitos Humanos realiza ato contra internação compulsória em Porto Alegre”

  1. Andreia 5 de maio de 2013 às 09:30 #

    Totalmente de apoio ao movimento “Crack Vem Pensar”, precisamos repensar nas politicas publicas e na rede de atencao psicossocial para atender melhor aos usuarios, e nao prende-los sem perspectiva de um verdadeiro cuidado!

  2. Ciçu 5 de maio de 2013 às 11:57 #

    não sou contra a internação – sou a favor das possibilidades… há usos e usos de toda e qualquer droga, lícita ou ilícita… acompanhamentos em resolutivos em liberdade e até mesmo fim do uso do crack por conta própria permeiam algumas histórias que vivo… sou contra um projeto de lei que homogeniza o “tratamento”, esvaziando a complexidade das situações… realmente é bastante complexo, e é assim que queremos entender, pensar, cuidar, tratar, observando as complexidades!

Trackbacks/Pingbacks

  1. Princípio Ativo » Arquivo do Blog » Repercussões da Frente Estadual Drogas e Direitos Humanos (RS) na mídia e nas ruas - 14 de maio de 2013

    […] marcou presença no ato uma repórter do JornalismoB, que conversou com os(as) manifestantes e fez uma boa cobertura. Texto interessado, simples, informativo, partindo de entrevistas realizadas com pessoas da […]

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: